início do conteúdo

Estágio

Página atualizada em 09/03/2020, às 08h19.

 

  • EXTENSÃO
  • ESTÁGIO

 

APRESENTAÇÃO

O estágio é importante instrumento de Ensino e Aprendizagem. No momento da sua efetivação e desenvolvimento, o estagiário leva a sua Instituição a outra, construindo laços entre as três partes.

É prática indispensável à formação acadêmica, tendo por objeto primeiro, a fusão da unidade dialética entre o pensar acadêmico e o agir empresarial. Assim, o estágio se torna momento privilegiado no processo de ensino-aprendizagem. Constitui, para a formação profissional, a integração entre a teoria e a prática, socializando conhecimentos, trocando tecnologias e consequentemente, aprimorando as relações interinstitucionais.

A Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008, que dispõe sobre o estágio de estudantes proporcionou maior ênfase às características educacionais do estágio curricular e determina que o estágio possa ser obrigatório ou não, conforme a previsão das diretrizes curriculares da etapa, modalidade e área de ensino, e do projeto pedagógico do curso.

Este manual pretende de modo simples e direto propiciar orientações sobre estágio enquanto componente curricular e extracurricular auxiliando os estudantes e profissionais envolvidos com o estágio, desde as etapas pré-estágio, o ingresso do estudante e o seu desenvolvimento, podendo contribuir efetivamente para que os objetivos e metas propostas sejam alcançados com êxito, observando as premissas de cada Projeto Pedagógico do Curso.

O estágio é um momento de construção de conhecimentos a ser alcançado pelo exercício prático e, sobretudo pelo diálogo. Momento fundamental para aferir conceitos, construindo uma formação profissional e humana mais rica e abrangente.

Visando à orientação do aluno e do professor sobre os procedimentos de estágio, as Coordenações de Curso e a Coordenação de Extensão e Relações Empresariais elaboraram este manual do estagiário, um instrumento importante para o aluno que pretende iniciar seu estágio. Nele, estão contidas as legislações que regem o aluno-estagiário, fichas de avaliações, modelo de relatório e a sequência para montagem do Relatório Final, além de instruções e forma de avaliação da defesa de estágio, requisitos para obtenção do diploma e consequente registro na Entidade de Classe.

 

1.    INTRODUÇÃO 

O Estágio no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso é ato educativo supervisionado desenvolvido no ambiente produtivo, que visa à preparação para o mundo do trabalho de educandos que estejam frequentando o ensino regular no Campus Sorriso.

O estágio curricular, seja ele obrigatório ou não obrigatório, tem a função de propiciar ao estagiário o aprendizado social, profissional e cultural, tendo como resultado uma reflexão real e futurista dos novos cenários socioeconômicos.

O estágio deve propiciar a complementação do ensino e da aprendizagem, devendo ser planejado, executado, acompanhado e avaliado em conformidade com o Projeto Pedagógico do Curso, Conteúdo Programático e Calendário Escolar, a fim de constituir um instrumento de integração, de treinamento prático, de aperfeiçoamento técnico-cultural-científico e de relacionamento humano.

O estágio visa ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho.

Apesar de o estagiário participar diretamente das atividades produtivas, o estágio não é um emprego. É uma atividade pedagógica que visa o complemento do aprendizado dos cursos técnicos de nível médio ou superiores.

 

1.1. O que é o estágio supervisionado? 

O Estágio Curricular supervisionado é uma atividade escolar, a ser desenvolvido em empresas públicas ou privadas, promovendo entre tantos benefícios, a capacitação do educando para o mundo do trabalho. É atividade que poderá ser realizada por estudantes que estejam frequentando o ensino regular, em instituições de educação superior, de educação profissional e tecnológica, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos - Proeja.

O estágio, quando contemplado no Projeto Pedagógico do Curso, passa a integrar o itinerário formativo do educando, sendo nesse caso, critério obrigatório para a obtenção do Diploma Escolar. Assim, o estágio visa o aprendizado de competências próprias de atividade profissional e à contextualização curricular, não gerando, em nenhuma hipótese, vínculo empregatício de qualquer natureza. É uma complementação do ensino, com duração limitada e só poderá ser realizado por estudante regularmente matriculado que esteja frequentando as atividades educacionais.

Constitui-se numa atividade fundamental em que se busca lapidar a profissionalização do estudante, permitindo a troca de saberes com a empresa produtiva, gerando benefícios às duas partes.

Um estágio feito com responsabilidade pelo aluno, na maioria das vezes, abre as portas para a sua contratação pela empresa. Portanto, dedicação, iniciativa e compromisso são essenciais por parte do estagiário. Por outro lado, é importante observar o nível de compromisso da empresa com o aspecto educacional. Empresas que utilizam os estagiários como mão-de-obra barata e que além de não oferecer oportunidades de aprendizagem ainda não exercem qualquer tipo de supervisão ao trabalho do estagiário não são parceiras desejáveis para o IFMT – Campus Sorriso. Nessa situação, já no início do seu estágio, o estagiário deverá prestar informações ao seu orientador, para verificação e tomada de decisões.

 

1.2. Modalidades de estágio 

Pela lei N° 11.788 de 25 de setembro de 2008, há duas modalidades de estágio: o estágio obrigatório e o estágio não-obrigatório.

a)    Estágio obrigatório é aquele contemplado no Projeto Pedagógico de Curso, que faz parte da Matriz Curricular de um determinado curso, com a carga horária e os critérios para o desenvolvimento do estágio pré estabelecidos. Assim, essa modalidade de estágio se torna requisito para aprovação e obtenção de diploma, bem como para a obtenção do Registro Profissional, sem o qual o aluno não poderá exercer legalmente sua profissão.

b)    Estágio não-obrigatório é aquele desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular do curso. 

As atividades de extensão, de monitorias, de iniciação científica na educação superior, bem como o aproveitamento da experiência de trabalho profissional pelo estudante somente poderão ser validadas como estágio em caso de previsão no Projeto Pedagógico do Curso, porém a vivência proporcionada pelo estágio curricular poderá sobrepor qualquer outra atividade extensionista, sendo portanto, recomendada, durante a elaboração das diretrizes do Projeto Pedagógico do Curso a inserção do estágio obrigatório.

 

1.3. Objetivos do estágio 

O estágio Curricular Supervisionado visa propiciar ao aluno:

a) Condições para iniciação orientada à prática profissional, tendo em vista a consecução dos objetivos dos Cursos;

b) Oportunidade para assimilar experiência prática, planejar e desenvolver atividades de natureza técnicas, de maneira sistêmica, em empreendimentos cujas atividades estejam relacionadas às áreas da formação profissional;

c) Articulação dos conhecimentos adquiridos com a realidade profissional.

d) Contato direto e sistêmico com o mundo do trabalho produtivo.

 

2.    INGRESSO AO ESTÁGIO 

 

2.1. Critérios para realização de estágios 

Os estágios só poderão ser realizados por alunos devidamente matriculados e que estejam frequentando regularmente os cursos superiores e técnicos em todas as modalidades oferecidas pelo IFMT - Campus Sorriso. Estudantes estrangeiros regularmente matriculados em cursos superiores no País, autorizados e reconhecidos, observado o prazo do visto temporário do estudante.

Duração: a carga horária de cada estágio será de acordo com o estabelecido no Projeto Pedagógico do Curso.

Poderão ser equiparadas ao estágio, desde que previstas no projeto pedagógico do curso, as atividades desenvolvidas pelo estudante de:

a) Extensão.

b) Monitoria.

c) Iniciação científica na educação superior. 

Bolsa de estágio ou contraprestação: para o estágio não obrigatório é compulsória a concessão de bolsa de estágio ou outra forma de contraprestação que deve estar definida no Termo de Compromisso de Estágio.

Para o estágio obrigatório, a concessão de bolsa de estágio ou outra forma de contraprestação é facultativa, mas, se concedida, deve também constar no Termo de Compromisso de Estágio.

Apesar de a lei ser omissa quanto às ausências do estudante, as faltas não justificadas ou não autorizadas pela parte concedente do estágio poderão acarretar descontos proporcionais no valor da contraprestação devida ao estagiário.

 

2.2. Condições para início do estágio 

(a) Ter, no mínimo, 16 anos completos na data de início do estágio;

(b) Ter sua matrícula regularizada na SGDE (Secretária Geral de Documentação Escolar) do campus, antes do início do estágio;

(c) Atenda aos requisitos previstos no PPC, no caso de estágio obrigatório;

(d) Apresentar a documentação exigida pela Coordenação de Extensão e Relações Empresariais do IFMT – Campus Sorriso.

 

2.3. Como conseguir um estágio 

A conquista de um bom local para realização de estágio exige inicialmente pro-atividade do estudante. Deverá se apresentar aos órgãos e empresas que ofereçam atividades inerentes a sua área de conhecimento (seu curso), conforme o seu interesse e possibilidades, para que o setor de extensão do Campus possa a partir de então viabilizar os trâmites legais e assim, o estudante desenvolver as atividades do estágio.

O aluno deve antes de tudo conhecer as atividades desenvolvidas pela empresa, o seu nível tecnológico e os reais interesses em oferecer estágios.

Entendemos que as visitas técnicas, as feiras tecnológicas, as exposições agropecuárias e a internet, são importantes formas de se obter contatos com as empresas desejadas, para a obtenção do seu estágio.

 

2.4. Instrumentos legais para formalização do estágio 

O estágio é um ato Institucional, assim deverá obedecer aos trâmites internos no Campus Sorriso e dispor de instrumentos como:

a) Termo de Compromisso de Orientação – documento pelo qual o professor orientador se compromete a auxiliar o aluno a conseguir o local de estágio e dar todas as orientações para o desenvolvimento, confecção de relatório e defesa do estágio;

b) Termo de Convênio de Estágio - instrumento jurídico, celebrado entre a empresa concedente de estágio e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Campus Sorriso, descrevendo todas as obrigações de ambas as partes para a realização de estágios;

c) Termo de Compromisso de Estágio – instrumento jurídico, celebrado entre a empresa concedente de estágio, o aluno e a Coordenação de Extensão e Relações Empresariais do Campus Sorriso, descrevendo todas as condições da realização do estágio;

d) Plano de estágio – É um exercício prático do estagiário, devendo proporcionar a reflexão e sintetizar o esforço de planejamento das atividades que irá exercer durante o estágio. Deve ser o instrumento pelo qual o supervisor de estágio avalia a consistência do trabalho e orienta quanto às linhas gerais de atividades a serem seguidas.

A estrutura e organização do plano de estágio deverão ser feitas de acordo com as recomendações do orientador do estágio, porém sempre trazendo elementos como: o objetivo específico e as metas a serem alcançadas no estágio.

 

3. O QUE É NECESSÁRIO SABER PARA INICIAR O ESTÁGIO 

Para realização do estágio, o educando regularmente matriculado deverá comparecer a Coordenação de Extensão e Relações Empresariais do Campus Sorriso para formalizar o Termo de Convênio de Estágio e o Termo de Compromisso de Estágio e demais procedimentos sobre o acompanhamento do estágio;

O estagiário poderá receber bolsa ou outra forma de contraprestação que vier a ser acordada, sendo compulsória a sua concessão, bem como a do auxílio-transporte, na hipótese de estágio não obrigatório, tendo que estar prevista no Termo de Compromisso de Estágio;

A eventual concessão de benefícios relacionados a transporte, alimentação e saúde, entre outros, não caracteriza vínculo empregatício;

É assegurado ao estagiário, sempre que o estágio tiver duração igual ou superior a um ano, período de recesso de 30 dias, a ser gozado, preferencialmente, durante suas férias escolares. Este recesso deverá ser remunerado, quando o estagiário receber bolsa ou outra forma de contraprestação. Os dias de recesso serão concedidos de maneira proporcional, nos casos de o estágio ter duração inferior a um ano;

O desligamento do estagiário ocorrerá automaticamente ao término do Termo de Compromisso;

O estagiário poderá ser desligado da Concedente antes do encerramento do período previsto por interesse de qualquer uma das partes, devendo, neste caso, o solicitante formalizar às outras partes, mediante do Termo de Rescisão;

 

4. CASOS EM QUE O DISCENTE APROVEITA O ESTÁGIO PELO TRABALHO QUE REALIZA NA ÁREA DE FORMAÇÃO DO CURSO

* Para os alunos Empregados na Função e que queiram solicitar o aproveitamento de estágio, podem solicitar o mesmo junto à Coordenação de Extensão para receber as orientações de como proceder.

  

5. ACOMPANHAMENTO DE ESTÁGIO

O acompanhamento do estágio será realizado por Professor Orientador, durante o ano letivo, onde o aluno deverá comparecer em local previamente estabelecido pelo orientador, para receber as orientações do mesmo visando o atendimento do estabelecido no Plano de Atividades de Estágio, em consonância com o Plano Pedagógico do Curso.

O estágio, como ato educativo escolar supervisionado, deverá também ter acompanhamento efetivo pelo Supervisor de Estágio da parte concedente, mediante avaliações das atividades. O acompanhamento dos períodos de estágio é de responsabilidade do orientador e efetivar-se-á por meio de relatório final elaborado pelo estagiário, avaliado e aprovado pelo Orientador do Estágio.

 

6. DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO

Atividades desenvolvidas durante o estágio

Na empresa cedente de estágio o estudante desenvolverá tarefas diversificadas e específicas, em diversos campos do seu conhecimento, que lhe trarão:

a) Experiência necessária ao seu preparo profissional,

b) Visão concreta do meio e das condições de trabalho, permitindo que se enriqueça o seu currículo e sua formação como profissional.

Portanto, o Estágio Supervisionado pretende:

  • Proporcionar ao estudante condições de desenvolver suas habilidades, analisar criticamente situações e propor mudanças no ambiente de trabalho;
  • Incentivar o desenvolvimento das potencialidades individuais, favorecendo o surgimento de profissionais empreendedores;
  • Consolidar o processo ensino-aprendizagem, através da conscientização das deficiências individuais, e incentivar a busca do aprimoramento pessoal e profissional;
  • Possibilitar o processo de atualização dos conteúdos disciplinares, permitindo adequar aquelas de caráter profissionalizantes às constantes inovações tecnológicas, políticas, sociais e econômicas a que estão sujeitos;
  • Promover a integração entre o IFMT e as Empresas/Comunidade.

O orientador de estágio deverá ter ciência das atividades desenvolvidas pelo estagiário, apontar-lhe outras novas atividades a serem desenvolvidas, que considere relevantes à sua formação, bem como sugerir o afastamento do estagiário de outras atividades que não considere relevantes.

Como estagiário, o estudante deverá ter sempre o acompanhamento de profissionais da área para supervisionar e orientar suas observações, comentários, pesquisas, tarefas e desenvolvimento do trabalho.

 

6.1. Orientação e Supervisão no estágio 

A equipe do estágio é formada por:

a) Setor de Extensão no Campus do IFMT;

b) Orientador de estágio;

c) Supervisor de estágio;

d) Estagiário.

 

Os papéis de cada personagem: 

a) Setor de Extensão do Campus do IFMT

Deverá coordenar todos os trâmites de instrumentalização do estágio, como: os contatos com a empresa concedente de estágio, a elaboração do Termo de Convênio de Estágio, Termo de Compromisso de Estágio e Fichas de Avaliação do Estagiário. Além disso, deverá verificar a participação do orientador do estágio e ter ciência do desenvolvimento do Estágio Supervisionado, auxiliando o Estagiário, o Orientador e o Supervisor de estágio durante todo o período de duração das atividades.

 b) Orientador

  • Orientar e acompanhar o desenvolvimento das atividades dos alunos durante o Estágio Supervisionado;
  • Manter contato com o supervisor de estágio no local do estágio;
  • Indicar bibliografias e outras fontes de consultas;
  • Avaliar o relatório entregue pelo aluno, apresentando parecer à Coordenação de Extensão;
  • Conversar periodicamente com o estagiário, indicando, se necessário for, as alterações de atividades desenvolvidas pelo estagiário;
  • Estar atento à postura ética que o trabalho requer.

 

c) Supervisor

  • Apresentar o aluno estagiário à empresa e a empresa ao aluno;
  • Orientar, acompanhar e organizar as atividades práticas do estagiário na empresa;
  • Oferecer os meios necessários à realização de seus trabalhos;
  • Manter contato com a Instituição, quando necessário;
  • Assinar e encaminhar a Ficha de Avaliação de Estágio ao Setor de Extensão;
  • Observar atentamente as atividades desenvolvidas pelo estagiário na empresa, conferindo se as mesmas poderão lhe oferecer algum risco a sua integridade física, bem como se estão lhe proporcionando aprendizagem.

 

d) Estagiário

  • Providenciar documentação exigida, acatando as exigências legais do IFMT;
  • Elaborar o Plano de Atividades de Estágio juntamente com o supervisor de estágio, apresentando-o obrigatoriamente ao orientador, para adequações;
  • Comunicar ao seu orientador todo acontecimento importante relacionado ao estágio;
  • Comparecer aos encontros previstos com o orientador para análise dos trabalhos e/ou discussão de possíveis problemas;
  • Observar e cumprir as normas que emanam das Coordenações de Cursos e do setor de Extensão do Campus Sorriso;
  • Elaborar relatório conforme as instruções específicas e recomendações do orientador;
  • Realizar com zelo, dedicação e espírito profissional, todas as atividades programadas.

 

 7. RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO

O Relatório Final de Estágio é o documento que o aluno apresenta primeiramente ao seu orientador e posteriormente ao setor de Extensão do Campus, explanando, de forma clara e objetiva, a sua experiência/vivência no estágio. É um trabalho que deve obedecer as regras da ABNT ou conforme decisão das Coordenações de Curso e Departamento de Ensino do Campus onde o estagiário está matriculado. O Relatório deve:

  • Informar sucintamente as atividades da empresa concedente de estágio;
  • Registrar com clareza as atividades desenvolvidas pelo estagiário durante o seu estágio, documentando com fotos ilustrativas e relato direto dos fatos;
  • Relatar as atividades e as experiências do estagiário, trazendo as dificuldades encontradas e os seus pontos fortes.

O estagiário deve observar os seguintes procedimentos na elaboração do Relatório Final:

  • Garantir a participação do orientador. Depois de elaborada a primeira versão, o aluno deve procurar o Orientador para checar, corrigir e adequar a organização de conteúdo a normatização;
  • O relatório deverá ser entregue obedecendo ao calendário elaborado pelo Orientador;
  • O Relatório Final somente poderá ser encaminhado a Coordenação de Extensão, após a correção;
  • O Relatório Final deverá ser entregue juntamente com a pasta de estágio contendo todas as peças necessárias para avaliação;

 

8.  INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM DO PROCESSO (PASTA)

            Cada estagiário, ao final do seu estágio e ANTES da defesa deverá protocolar na Coordenação de Extensão um processo contendo os documentos sequenciais conforme estabelecido no documento de Pré-Defesa.

            Estes processo deve estar disposto em pasta (tipo 2 furos tipo simples com trilho) com as respectivas cores para cada curso:

·         Pasta de cor preta (Curso de Tecnologia em Produção de Grãos);

·         Pasta de cor verde (Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental);

·         Pasta de cor vermelha (Curso de Técnico em Alimentos Integrado ao Ensino Médio);

·         Pasta de cor incolor (Curso de Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio);

·         Pasta de cor azul (Curso Bacharelado em Engenharia Agronômica).

Observação: A pasta deve estar etiquetada, indicando o nome do estagiário, o curso, a turma, o ano de conclusão.

Antecedendo a defesa do estágio, o aluno deverá entregar o processo (pasta de Estágio) – na Coordenação de Extensão os seguintes documentos.

- Listagem de  Pré-Defesa;

- Termo de Compromisso de orientação;

- Declaração do Orientador, que o relatório esta em condições de ser julgado pela Banca;

- Sugestão de nomes, para Banca Examinadora da defesa e do relatório de estágio;

- Termo de Compromisso de Estágio;

- Plano de Atividades;

- Relatório de Atividade de Estagio, de acordo com as normas sugeridas;

- Controle de Frequência do Estagiário (opcional);

- Ficha de Avaliação do Estagiário pelo Supervisor

 

9. CONCLUSÃO DE ESTÁGIO 

a)    Defesa de Estágio 

A defesa de estágio compreende a penúltima etapa necessária ao reconhecimento da conclusão do estágio. Para tanto, o setor de Extensão oficializa uma banca examinadora indicada pelo orientador formada por no mínimo 3 (três) profissionais, podendo ser docentes e/ou técnicos administrativos, do quadro de servidores do Campus, ou por profissionais convidados pelo orientador, desde que possua formação superior em área inerente ao conteúdo do estágio a ser defendido.

O estagiário terá 30 (trinta) minutos para as explanações acerca do conteúdo do estágio, sendo 20 (vinte) minutos para exposição oral e 10 (dez) minutos para questionamentos da banca de estágio.

O estagiário poderá optar pelos recursos audiovisuais que melhor o auxilie na transmissão dos seus conhecimentos, não podendo ser penalizado em caso da opção pelo não uso ou por problemas técnicos que por ventura ocorra com o equipamento, durante a apresentação.

Ao final da defesa, a banca realiza as avaliações, nas fichas dispostas na mesa (sob responsabilidade do orientador) e verifica o relatório, podendo sugerir alterações e novas correções do mesmo, antes do preenchimento e encaminhamento das fichas de Avaliação e  ATA DE DEFESA ao setor de Extensão.

 

b)   Prazo para solicitar a Defesa 

A solicitação de defesa de estágio junto a Coordenação de Extensão deverá ser realizada com no mínimo 15 dias de antecedência e devidamente acompanhada de todos os documentos exigidos.

c)   Aprovação no Estágio Curricular Obrigatório 

Para ser aprovado no estágio, o aluno deverá atingir nota igual ou superior a 60 (sessenta) % da pontuação máxima. A entrega do processo (pasta de estágio), contendo todas as peças preenchidas e assinadas, junto a Coordenação de Extensão é imprescindível para o início e fim do processo de avaliação.

Haverá necessidade da realização da defesa de estágio, por banca examinadora que será definida em conjunto com o professor orientador.

Para a avaliação final do estagiário serão utilizados as seguintes escores:

a) Avaliação de Estágio, realizado pelo supervisor da Empresa: 30 pontos;

b) Relatório Final de Atividades e Defesa de Estágio, realizada pelo estagiário, frente a banca examinadora de estágio: 70 pontos.

Em caso de reprovação no Estágio Curricular Supervisionado, o aluno deverá desenvolver novo estágio. 

 

d)   Em caso de reprovação
 

Caso haja a reprovação do estagiário em totalidade ou em parte dos componentes avaliados, fica a critério da Banca Examinadora:

- devolver o processo ao aluno e solicitar as devidas correções, que posteriormente, deverá repetir todo o procedimento, entregando-o ao Professor Orientador para que seja reavaliado ou,

- solicitar que seja realizado novo estágio.

 

e)    Prazo para entrega definitiva dos documentos após defesa
 

Após a defesa do estágio, caso seja aprovado, o professor orientador deverá entregar na Coordenação de Extensão para compor o processo (pasta) os seguintes documentos:

- Documentos de Pós Defesa;

- Ata da Defesa, conforme modelo;

- Relatório de Estágio corrigido.

A documentação deverá ser entregue pelo discente ou professor orientador em no máximo 3 dias úteis à Coordenação de Extensão.

Por outro lado, tendo sido aprovado no processo de defesa, porém com solicitação da Banca Examinadora para alterações no relatório, o estagiário terá o prazo máximo de 15 dias para providenciar as devidas alterações e entregar toda a documentação ao professor orientador que a entregará à Coordenação de Extensão.

Estando o processo completo e o aluno aprovado, a Coordenação de Extensão encaminhará ao Registro Escolar a documentação necessária para emissão do Histórico Escolar e a confecção do Diploma.

 

 

MODELOS DE DOCUMENTOS

Termo de Compromisso

início do rodapé

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - Campus Sorriso

Av. dos Universitários, 799, Bairro: Santa Clara - CEP: 78.895-150

Telefone: (66) 3545-3700

Sorriso/MT